Interior da loja brasileira Farm, em Nova York. Projeto do escritório de arquitetura Rosenbaum.

Farm SOHO NY

a Farm do Soho é um espaço que abriga e expõe uma curadoria de arte e design brasileiros | Rosenbaum + Renata Gaia arquitetura

 
Interior da loja brasileira Farm, em Nova York. Projeto do escritório de arquitetura Rosenbaum.

O ponto de partida foi a criação de um conceito de ocupação do espaço físico, utilizando elementos que possam ser inseridos na arquitetura do lugar com harmonia e transportados, caso a marca faça uma experiência ou temporada em outros espaços privados ou públicos. Este conceito de nomadismo se torna mais sustentável, porque é totalmente adaptável e contemporâneo.

O espaço tem texturas naturais, rústicas e leves. O deck de madeira cria um percurso, ladeado por areia e uma coleção de plantas naturais que reproduz a leveza e experiência outdoor que a marca propõe.

Todo o mobiliário é o resultado de uma seleção de moveis e objetos conta a historia dos artesãos, artistas populares e jovens designers/artesãos. A atmosfera criativa traduz a força do conhecimento ancestral e a habilidade do fazer a mão, em total integração com elementos da natureza, a madeira o algodão, a palha e a cerâmica, conexão das pessoas com a natureza, que pode representar o que o Brasil tem de maior valor, que é a construção do conhecimento do povo.

“Usamos o design para expor a alma brasileira”

Marcelo Rosenbaum

Os móveis criados por artistas populares da Ilha do Ferro, Alagoas, do nordeste do Brasil, às margens do rio São Francisco, são peças únicas que usam os movimentos dos galhos das arvores dos mangues, raízes e troncos. Trabalho de grandes mestres, cujas obras tem valor artístico e estético e representam a sabedoria popular, colocando nosso país entre os mais expressivos produtores de arte no mundo.

As araras foram confeccionadas a partir das bordunas, armas ou remos, feitos de toras de madeira e cobertos com palhas, artesanato tradicional do povo indígena Kayapó, que vive no Pará, na Amazônia brasileira. Na trama da palha, os grafismos representam relação cosmológica e gráfica com a natureza.

Um conjunto de cestarias produzidas pela comunidade de Várzea Queimada no interior do Piauí, representa a ligação ancestral com os recursos naturais e habilidade de trançar a palha para produzir objetos do cotidiano, que foram desenvolvidos pela comunidade, através do Instituto A Gente Transforma, com os designers Marcelo Rosenbaum e o Estudio Pedrita, de Portugal. As luminárias de palha são também produzidas pela comunidade de Várzea Queimada, e tem design da Adriana Frattini, uma parceria do Instituto A Gente Transforma com Casa Vogue Brasil.

O tapete de palha de taboa foi feito especialmente para este projeto por um artesão do Vale do Parnaíba, no Piauí.

Os provadores são grandes casulos/oca tramados em crochê de algodão, com pedras e cristais, fazendo uma poderosa conexão com a terra. Uma obra do estilista Gustavo Silvestre, que tem no discurso da sua produção, a valorização da produção manual contemporânea, em conjunto com ex-detentos, em um processo de integração com a sociedade.

Para o desenvolvimento deste projeto, convidamos o escritório parceiro Renata Gaia Arquitetura.

Planta da loja brasileira Farm, em Nova York. Projeto do escritório de arquitetura Rosenbaum.
 

LOCALIZAÇÃO

FARM Rio Flagship Store
113 Prince St, New York – NY, Estados Unidos

 

FOTOS

Fotos: Felco

Interior da loja brasileira Farm, em Nova York. Projeto do escritório de arquitetura Rosenbaum.

Ficha Técnica

Cliente
Farm Rio

Local
NY SOHO

Data do projeto
2019

Data da conclusão da obra
2019

Arquitetura e interiores
Rosenbaum e Renata Gaia Arquitetura

Fotos
Felco