Sobre o projeto

Cozinha Escola Nestlé no Mercado Central de Belo Horizonte. A estrutura, uma malha densa em Bambu se integra a arquitetura do local, esta presente e em silêncio, simultaneamente.

História

A Cozinha Escola Nestlé foi concebida para reconhecer a importância da culinária mineira e reforçar o movimento da valorização da gastronomia regional. Não faria sentido construí-la em qualquer outro lugar que não fosse o Mercado Central de Belo Horizonte.

O Mercado é um ponto de encontro por excelência, por isso, a convite da empresa, desenhamos um projeto que se integrasse à arquiterura e organização do Mercado sem comprometer o seu funcionamento. Optamos por erguer a estrutura da escola sobre uma das lajes, com uma superfície permeável à visão e que convidasse ao encontro.

Em meio a lojas e produtos, ao caos do comércio e da alta rotatividade de pessoas, a intervenção está presente e em silêncio, simultaneamente.

Processo criativo

Foi sobre esta estrutura labirintica que, junto com os arquitetos Fernando Maculan e Mariza Machado Ribeiro – da Mach Arquitetos, criamos uma cozinha-escola para comemorar os 90 anos da Nestlé no Brasil.

A estrutura é composta por uma de malha densa de bambu erguida sobre uma das lajes em formato L do mercado. Propusemos um desenho de espaço que fosse leve aos olhos e ao mesmo tempo impactante. Com a trama de bambu criamos uma estrutura de cúpula, como uma espécie de túnel (arejado e transparente) onde instalamos a cozinha-escola. Apesar de fechada, a escola mantém um fluxo de luz e ar, assim como a fachada de cobogó do mercado, nossa principal referência técnica e visual.

Tivemos a preocupação de preservar as características arquitetônicas do antigo edifício, pois nelas estão os valores sociais e culturais da cidade, como um patrimônio edificado. Por isso, propusemos um tipo de intervenção que pode ser replicada nas outras três lajes sem alterar a matriz espacial original do Mercado.

Para executar o design chamamos Lúcio Ventania, um mestre bambuzeiro e fundador da Bamcrus, uma ONG dedicada aos estudos e desenvolvimento do bambu no mundo. Trinta de seus estudantes, moradores de comunidades de baixa renda da cidade, participaram na construção da escola e se formaram mestres durante o processo.

Impacto

Hoje, a Escola Nestlé não passa desapercebida nem para compradores nem para comerciantes. Apesar da presença discreta da marca, a estrutura já é relacionada à Cozinha Escola Nestlé. Dentro da estrutura de bambu chefs amadores e profissionais recebem aulas semanais gratuitas. O projeto trará nova vitalidade para o Mercado Central de Belo Horizonte, intensificando os valores que o tornaram reconhecido em todo o Brasil.

Compartilhar